Cálculo de Momentos de Pilar Intermediário (exercício)

Atualizado: 6 de mar.

Método do Pilar-Padrão com Curvatura Aproximada


Os pilares intermediários são submetidos apenas à compressão simples (ou centrada) na situação de projeto, pois como as lajes e vigas são contínuas sobre o pilar, pode-se admitir que os momentos fletores transmitidos ao pilar sejam pequenos e desprezíveis. Não existem, portanto, os momentos fletores MA e MB de 1ª ordem nas extremidades do pilar.

A figura acima ilustra um pilar intermediário fabricado em concreto armado classe C20, reforçado com barras de aço CA-50, com continuidade entre pavimentos, seção transversal de hy = 20 cm e hx = 50 cm e comprimento equivalente (ℓfl) nas duas direções principais de 280 cm. Outros dados: γc = γf = 1,4 | γs = 1,15 | Nk = 785,7 kN.

Considerando as informações a seguir, responda as perguntas abaixo.


1) Para determinar os momentos de projeto necessários para o dimensionamento do pilar, inicialmente calcule:


a) Os valores de projeto para os esforços e para as resistências do concreto e do aço.


b) Os índices de esbeltez do pilar para as duas direções principais x, y.


2) Com relação às exigências normativas:


a) Calcule os momentos fletores mínimos para as duas direções principais x, y.


b) Calcule os índices de esbeltez limite para as duas direções principais e verifique a necessidade de se considerar os efeitos de segunda ordem.


3) Considerando o método do pilar-padrão com curvatura aproximada, encontre:


a) Os momentos fletores de segunda ordem, caso necessários.



b) Os momentos totais para o dimensionamento do pilar.



555 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo